A ‘BIC’ da Caserna

Waldemir Soares JÚNIOR *

O governo ‘BolsoAgro’ não tem melindre. Poucos dias após sua vexatória derrota na votação da Medida Provisória 870, o capitão, com sua obediência militar, atende o agronegócio e lança nova Medida Provisória, a 886/2019, para manter no Ministério de Agricultura, Pesca e Abastecimento a demarcação de terras indígenas.

A temática indígena é central para a balança comercial brasileira refém do agronegócio. A demarcação e a titulação de terras criam fronteiras agrícolas e impedem o avanço dos plantios de eucalipto, cana, soja, milho e da pecuária.

Essa dependência comercial potencializa conflitos fundiários históricos para acesso à terra. O ano de 2018 levou a óbito 28 ativistas sociais, segundo dados da Comissão Pastoral da Terra.

Os dados alarmantes da violência do campo, o histórico de grilagem e da concentração de terras não levam parcimônia a caneta `Bic’ da caserna. Ao contrário, quase como um fetiche, o Messias, atropela a Constituição Brasileira a bordo do trator ruralista e edita nova Medida Provisória com o mesmo tema.

Aliás, como saudosista do período militar, não é nenhuma novidade que o capitão tenha total desrespeito pela democracia.

A Medida Provisória 886/2019 é um ataque às leis vigentes e à dignidade das populações originárias. Atende aos interesses de ruralistas e banqueiros para manter a balança comercial dependente do agronegócio e fortalece as bancadas do Boi, Bala e Bíblia.

Enquanto alguns satirizam a forma messiânica do governo ‘BolsoAgro’ a caserna comemora seus atropelos à democracia tingindo nosso chão de vermelho.

*Advogado com experiência e atuação em Direito Agrário, Ambiental e Penal

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS