14/08/2016

Um fenômeno chamado Michael Phelps

Colecionador de medalhas e de feitos, o nadador Michael Phelps quebrou na quinta-feira um recorde olímpico de mais de 2 mil anos.

Phelps - foto divulgaçãoAo vencer sua 13ª medalha de ouro em competições olímpicas individuais – no 200m medley individual -, o americano superou Leônidas de Rodes, um dos mais famosos atletas olímpicos da Antiguidade.

Leônidas competiu nos jogos de 164 a.C. e conquistou a coroa de louros em três corridas – o estádio (cerca de 180 metros), o diaulo (cerca do dobro do estádio) e na corrida hoplitódromo, na qual os participantes tinham que usar proteção nas pernas, elmo e escudo.
O atleta antigo repetiu o feito nas três Olimpíadas seguintes, de 160 a.C., 156 a.C. e depois em 152 a.C., quando já estava com 36 anos.

Ele era considerado o maior corredor olímpico de seu tempo, e chama a atenção o fato de ter mantido a forma física ao longo de 12 anos. Isso fazia dele motivo de orgulho entre seus compatriotas, segundo os registros históricos.

 

Caminhos cruzados

pic - foto divulgaçãoEm 2008, Joseph Schooling, um menino de 13 anos apaixonado pela natação, conhecia o seu herói. Ele chamava-se Michael Phelps e era um gigante sorridente, que semanas depois arrecadaria oito medalhas nos Jogos Olímpicos de Pequim, ao pé do rapazinho de óculos de ar ligeirpic - foto divulgaçãoamente atordoado na fotografia que tiraram juntos. Fast forward para 2016 e os dois voltaram a estar lado a lado numa fotografia: a do pódio olímpico, no qual Joseph Schooling subiu mais alto do que o seu herói. O atleta de 21 anos recebeu o ouro, o primeiro da história para Singapura, nos 100m mariposa e bateu Phelps, que ficou com a prata na última prova individual da sua carreira.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA