11 prefeituras da região: Municípios firmam parceria com Subsecretaria de Defesa dos Animais do Estado

Foto Divulgação

Representantes da Subsecretaria de Defesa dos Animais Domésticos do Estado de São Paulo (programa PET São Paulo) realizaram na tarde da segunda-feira (05), na Câmara Municipal de Rio Preto, uma reunião de trabalho com representantes de 11 prefeituras da região. O evento contou com a participação da chefe da Casa Militar do Gabinete do
Governador e Coordenadora da Subsecretaria de Defesa dos Animais, coronel Helena
dos Santos Reis.

“A Subsecretaria vai trabalhar em três frentes, uma delas é o material educativo para ser utilizado durante o ensino regular, com o assunto proteção animal; a parte de incentivo à adoção, e o manejo populacional que será trabalhado a parte de
microchipagem e castração. Todas as ações não é o Estado que irá fazer, elas serão feitas por meio de parceria com os municípios, ou seja, os que aderirem ao Sistema Estadual de Defesa dos Animais vão poder trazer essas ações”, explicou a coronel Helena dos Santos Reis.

De acordo com a vereadora Cláudia Di Giulli, a Subsecretaria de Defesa dos Animais
Domésticos irá somar na luta pela causa dos pets. “Na causa animal tudo é muito
novo, eu acho que isso é um ponta pé inicial para conscientizar.

Nós que já temos ONGs e eu que fui eleita para isso, a gente já está trabalhando,
mas tem muitas prefeituras de cidades menores que o prefeito não quer abordar o assunto, porque acha que vai ter gasto”, afirmou a vereadora.

O objetivo do trabalho é estabelecer um convênio entre prefeituras para dar suporte de
recursos para as questões relacionadas à educação, adoção e manejo animal.

“Esta reunião explicou como que se faz o cadastro no programa do governo e como trazer o recurso para o município, foi produtivo porque agora a gente tem para onde
correr, porque nunca tivemos nada”, disse a vereadora Cláudia Di Giulli.

A Subsecretaria foi criada em julho deste ano, até o momento 190 municípios aderiram ao Sistema Estadual de Defesa dos Animais e 300 cidades demonstraram interesse
em participar.

“Para aderir o sistema e participar das campanhas de educação, adoção e castração
não precisa criar uma estrutura, não precisa aumentar gasto público é preciso indicar um responsável por município que vai ser o interlocutor do Estado com o município”, afirmou o capitão de Polícia Militar e diretor da divisão de manejo populacional Richard Braga de Oliveira Tonn.
Por: Mariane DIAS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS