105 anos e muita história para contar

A dona Francelina Maria de Jesus, ou como é carinhosamente chamada, dona Nenê, nasceu em 1913, na cidade de Catalão, Estado de Goiás. A disposição já lhe garantiu 105 anos de vida, completados e festejados nesta sexta-feira(29), em Guaraci.

A vida de Dona Nenê não foi nada fácil. Ela perdeu os pais muito cedo e com isso se distanciou de todo o resto da família. Antes de chegar à cidade de Guaraci, aos 35 anos, passou por outras duas cidades e três casamentos, mas não teve filhos.
Com uma saúde invejável, o único problema de saúde chegou aos 91 anos. Ela teve um quadro severo de catarata e foi quando precisou de acolhimento. Ela foi morar no abrigo São João, um asilo.

Muito se engana quem pensa que não ter filhos e morar em um asilo é sinônimo de tristeza. Aos 105 anos, Dona Nenê dançou até forró para comemorar mais um ano de vida. “Ela é muito ativa e está muito bem para a idade dela. Ela é lúcida, se alimenta sozinha, ajuda as companheiras, faz caminhadas e fisioterapia”, explicou a assistente social Noildes Rosa, responsável pelo asilo.

Cercada de amigos e pessoas que se mobilizaram para preparar a festa, dona Nenê expressou sua felicidade. “Eu fiquei muito feliz com a festa. A gente se sente importante no dia do aniversário. Essa é a minha família e eu sou muito feliz aqui”, disse.

No Brasil, onde a expectativa de vida é de 75 anos, Dona Nenê superou as estatísticas. Ela passou deste marco há 30 anos e agora é apenas 17 anos mais nova do que a recordista mundial. Jeanne Calment foi uma francesa que chegou aos 122 anos e morreu em 1997, 144 dias após o aniversário. (Colaborou: Carol PASCHOALON)

 

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS