100 DIAS: Edinho cita orçamento como problema e elege vinda do Presidente Michel Temer como vitória

ENTREVISTA EDINHO - FOTO GUILHERME BATISTA (13)A gestão do prefeito Edinho Araújo (PMDB), completa 100 dias amanhã. Entrevistado pela reportagem, Edinho destacou o “cobertor curto” do orçamento atual, as ruas e avenidas esburacadas e o sucateamento da frota como principais problemas dos primeiros meses de governo. Por outro lado, elegeu a vinda do Presidente da República Michel Temer (PMDB), como uma vitória dos primeiros 100 dias da atual gestão.

No gabinete, no oitavo andar da Prefeitura, Edinho comentou sobre os principais desafios de Rio Preto, embaraços desgastantes para o governo, como a questão do fechamento do Hospital Ielar, cortes e investigações do auxílio atleta e, por fim, falou sobre projetos e obras em andamento, prometeu o início do recapeamento “em breve” e anunciou um reforço nas equipes que trabalham para duplicação da BR-153.

DHoje – Prefeito, para iniciar este bate papo, gostaria que o senhor comentasse qual foi o problema que a administração enfrentou nesses 100 primeiros dias?
Edinho – A readequação orçamentária. Tivemos que readequar o orçamento porque tinha furos muito consideráveis, os quais decorriam muito daquele aporte destinado à Riopretoprev. Mas com alterações do Projeto de Lei, aportando as áreas, foi possível minimamente readequar o orçamento para este primeiro momento. A cidade feia, cheia de matos, buracos, podemos dizer que estava abandonada. Mas agora estamos tentando organizar com a integração das secretarias. Estamos botando a casa em ordem.

DHoje – Sobre a questão dos buracos, um dos principais anseios da população, qual avaliação que o senhor faz do que foi feito até aqui?
Edinho – Os equipamentos da Prefeitura, em regra, todos sucateados. Estamos enfrentando uma série de dificuldades com relação a essa situação precária das máquinas pesadas e veículos. Fizemos um mutirão com o que tinha cada secretaria e com empresas parceiras que se somaram para que pudéssemos fazer uma limpeza nos pontos de apoio, corte de mato. Conseguimos melhorar consideravelmente a aparência da cidade.

DHoje – Referente ao tapa-buraco, senhor confirmou que 30 mil foram tapados?
Edinho – Tapamos milhares, mas ainda existem [outros] milhares. Para tanto estamos buscando outras saídas, precisamos buscar verbas, financiamento [como a verba pedida ao Estado pelo Desenvolve São Paulo]. Tenho priorizado esta questão. E nos próximos dias vamos dar o “start” no recape.

operação tapa buraco

DHoje – Recape que pode começar amanhã?
Edinho – Não sei se nesta segunda-feira. Mas essa questão está praticamente definida. Apenas detalhes.

DHoje – O governo enfrentou uma resistência na Câmara em relação aos primeiros projetos do Executivo que criariam cargos comissionados, como está sendo feito este trabalho de diálogo entre governo e Câmara?
Edinho – Eu lamento os projetos terem sido rejeitados. Eu considero-os importantes ainda. Com essa perspectiva que a sociedade vai envelhecer, precisamos de políticas públicas tanto para mobilidade urbana, quanto para acessibilidade. Da mesma forma para a saúde animal, que foi o mote de campanha. E a defesa civil que valorizamos quando estamos em crise. Foi uma perda.

DHoje – Mas o senhor acha que a relação do governo com o Executivo melhorou?
Edinho – O nosso relacionamento com a Câmara é bom e eu quero que seja cada vez melhor. Para tanto, o secretário Jair Moretti tem feito essa interlocução.

DHoje – Outro ponto que o senhor precisou se manifestar nos primeiros momentos foi sobre a questão da moradia da cidade, tanto a favela da Vila Itália, como do Brejo Alegre, o assunto é sensível. Como estamos sobre o assunto?
Edinho – Este tema não pode ser politizado, isso não constrói e nem avança. As secretarias estão avançando na busca de uma solução que não é fácil. Eu não deixei favela. Lamento muito que elas existem. Vou continuar buscando verbas para atender a faixa um e atender a demanda. Agora quem é favelado não significa que tenha privilégio, vai ter que se cadastrar.

Favela vila itália

DHoje – Rio Preto já sofreu com a falta de vagas em creches, problema defendido, inclusive por autoridades, mas hoje, como estão nossas crianças que dependem de uma instituição pública, todas acolhidas pelo município?
Edinho – Nós não temos falta de vagas em creche. O que se reclama é a creche próxima da casa. A Prefeitura tem tentado resolver isso, conversado com os pais para que não haja nenhuma criança fora da escola, fora da creche e que nem um pai e nem uma mãe sejam prejudicados no trabalho.

DHoje – Outro problema que o senhor encontrou na Prefeitura foi a questão do auxílio atleta que está sendo investigado pelo MP e por uma CPI na Câmara. Por um lado, a secretaria justificou cortes do programa este ano, por outro, atletas reclamaram da demora do pagamento do benefício que só iniciou em março.
Edinho – A questão do auxílio atleta realmente estava numa situação crítica. Procuramos restabelecer a ordem, a disciplina, considero o auxílio um instrumento importante para o esporte em geral e eu preciso que tenha regras e que receba auxílio atleta quem faz jus a ele. Que seja justo.

auxilio atleta VALE ESTA

DHoje – Prefeito, a administração está enfrentando uma crise com o fechamento do Ielar e os rumos que a discussão tomou não desgastam o governo?
Edinho – A questão do Ielar é de legalidade. Há uma lei que entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2017 que regra esta parceria com o terceiro setor. Um dos requisitos é que a entidade parceira não tenha contas rejeitadas. Para minha tristeza, lamento, o Ielar teve contas rejeitadas. Mas os convênios em vigor permanecem, não posso fazer os repasses, mas os contratos das secretarias da Saúde, de Educação e Assistência Social continuam. A Prefeitura tem honrado a todos, não deve absolutamente nada ao Ielar. E espera que eles continuem prestando os serviços.

DHoje – Não tinha nenhuma outra saída para os rumos desse impasse, houve protestos na porta da Prefeitura, na Câmara, como essa questão está sendo discutida não é ruim?
Edinho – A administração não criou nenhuma dessas situações. Agora, na condição de prefeito me cabe enfrentar e buscar solução. O que me move é a prestação de serviços em todas as áreas. Busco o cumprimento do contrato e cobro que o serviço seja desenvolvido. Essa lei é um fator novo e infelizmente passa por uma transição, mas algumas entidades já se adequaram, espero que as demais se adequem a esse novo ordenamento jurídico.

DHoje – O procurador do município, inclusive afirmou durante audiência na Câmara que se o Ielar arrumar um novo parceiro que atenda aos requisitos, há possibilidade de contornar a situação. O senhor assinaria essa alternativa?
Edinho – Se houver amparo legal no que foi discutido na quinta-feira passada, se eu tiver um parecer favorável da Procuradoria eu estarei pronto, porque ninguém em sã consciência quer o fechamento do Ielar.

IELAR 1

DHoje – Para finalizar, qual foi a vitória do governo Edinho nesses 100 dias?
Edinho – Eu destacaria a presença do Presidente da República aqui. Um fato político administrativo da maior importância porque isso mostrou a pujança de Rio Preto e este bom relacionamento que queremos que exista entre o poder Municipal, Legislativo, governo do Estado, parlamentares e governo Federal. Um ponto extremamente positivo na liderança de Rio Preto.

visita edinho 1 SMCS

Obras e projetos

Trem Caipira

“Este ano o Trem entrará nos trilhos. Estamos recuperando o equipamento que ficou abandonado por oito anos. Considero o turismo fomentador do desenvolvimento e temos que cada vez mais destacar nosso Distrito de Schmitt.”
“Este ano o Trem entrará nos trilhos. Estamos recuperando o equipamento que ficou abandonado por oito anos. Considero o turismo fomentador do desenvolvimento e temos que cada vez mais destacar nosso Distrito de Schmitt.”

Desvio trem

“Eu sei que a obra não acontece de imediato, primeiro você terá que construir o desvio. O que depender de mim, o mais rapidamente possível, mas levará alguns anos.”
“Eu sei que a obra não acontece de imediato, primeiro você terá que construir o desvio. O que depender de mim, o mais rapidamente possível, mas levará alguns anos.”

Parque Tecnológico

“O Complexo Dia foi uma das inaugurações às pressas sem condições de utilizar imediatamente, só para botar placas, da mesma forma o Parque Tecnológico que agora depende apenas das incubadoras, na mesma situação o Parque Educacional da Região Norte e vale também a inauguração sem acabamento do Centro de Artes e Esportes Aristides dos Santos (CEU), no Nova Esperança.”
“O Complexo Dia foi uma das inaugurações às pressas sem condições de utilizar imediatamente, só para botar placas, da mesma forma o Parque Tecnológico que agora depende apenas das incubadoras, na mesma situação o Parque Educacional da Região Norte e vale também a inauguração sem acabamento do Centro de Artes e Esportes Aristides dos Santos (CEU), no Nova Esperança.”

Entroncamento BR e Washington Luís

“Vamos tentar agilizar uma reunião com as concessionárias, acionar também a Artesp e no que depender do cronograma da BR sendo atacado em ponto A ou ponto B, isso nós faremos. Estou disposto a discutir para ver a possibilidade deste viaduto (região do Sesc). Mas é importante que o governo agilize a ampliação da SSP-310 de Cedral até Mirassol. O que pudermos, vamos fazer.”
“Vamos tentar agilizar uma reunião com as concessionárias, acionar também a Artesp e no que depender do cronograma da BR sendo atacado em ponto A ou ponto B, isso nós faremos. Estou disposto a discutir para ver a possibilidade deste viaduto (região do Sesc). Mas é importante que o governo agilize a ampliação da SSP-310 de Cedral até Mirassol. O que pudermos, vamos fazer.”

Poupatempo Saúde

“Poupatempo continua nos nossos planos, não nesse molde do poupa tempo que estamos acostumados, mas no sentido de agilizar as consultas e os exames para a população.” Complexo Dia
“Poupatempo continua nos nossos planos, não nesse molde do poupa tempo que estamos acostumados, mas no sentido de agilizar as consultas e os exames para a população.”
Complexo Dia

Complexo Dia

“Já estamos finalizando as últimas questões do prédio e já abrimos licitação para começar a funcionar com a compra de alguns equipamentos para que alguns serviços (exames) a Prefeitura possa fazê-los e não comprá-los. Quero dizer que o mutirão da saúde já começou para diminuir o sofrimento das pessoas.”
“Já estamos finalizando as últimas questões do prédio e já abrimos licitação para começar a funcionar com a compra de alguns equipamentos para que alguns serviços (exames) a Prefeitura possa fazê-los e não comprá-los. Quero dizer que o mutirão da saúde já começou para diminuir o sofrimento das pessoas.”

Novo Terminal

“Ali nós temos um viaduto só para ônibus, o que me causa estranheza, mas respeito o projeto, vamos dar continuidade fiscalizando e adequando caso seja necessário. Destaque-se que lamentavelmente não levou em conta que tinha um emissário de esgoto ali. Isso é lamentável sobre o aspecto administrativo.”
“Ali nós temos um viaduto só para ônibus, o que me causa estranheza, mas respeito o projeto, vamos dar continuidade fiscalizando e adequando caso seja necessário. Destaque-se que lamentavelmente não levou em conta que tinha um emissário de esgoto ali. Isso é lamentável sobre o aspecto administrativo.”

BR – 153

“Nos próximos dias teremos aí mais uma centena de trabalhadores e mais uma dezena de equipamentos, uma obra importantíssima que eu espero que seja inaugurada. Espero também que os moradores entendam os transtornos das obras que trarão muitos benefícios. Graças a Deus a BR-153 conseguiu avançar e eu espero concluí-la, espero, não estou prometendo, eu espero inaugurá-la no próximo ano.”
“Nos próximos dias teremos aí mais uma centena de trabalhadores e mais uma dezena de equipamentos, uma obra importantíssima que eu espero que seja inaugurada. Espero também que os moradores entendam os transtornos das obras que trarão muitos benefícios. Graças a Deus a BR-153 conseguiu avançar e eu espero concluí-la, espero, não estou prometendo, eu espero inaugurá-la no próximo ano.”

Próximos Passos

Edinho destacou ainda a questão do desenvolvimento sustentável em Rio Preto, falou sobre a limpeza da cidade e citou a preocupação com a questão dos acidentes de trânsito. “Os números de acidentes, de vítimas, como no trânsito como de pedestres nos deixa numa situação muito vulnerável Rio Preto tem índices de primeiro mundo, mas com números negativos. Espero nos próximos meses intensificar essa mudança de cultura para que as pessoas prestem atenção no trânsito, não use o celular quando dirige, não combine álcool com direção. É preciso um trabalho intenso de conscientização”, afirmou Edinho.
O prefeito garantiu continuar buscando apoio e investimentos a agricultura do município e lembrou da Cidade da Criança. “Estamos com um projeto sendo viabilizado para melhorar os brinquedos da Cidade da Criança”, finalizou.

Por Francela Pinheiro

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS